Close

A Insônia pela Medicina Tradicional Chinesa

mulher-insonia

A insônia é descrita pela Sociedade Brasileira de Sono, como dificuldade de iniciar e/ou manter o sono, presença de sono não reparador, ou seja, insuficiente para manter uma boa qualidade de alerta e bem-estar físico e mental durante o dia, com o comprometimento consequente do desempenho nas atividades diurnas. (FILHO; PRADO, 2007). A insônia não está relacionada somente com o fato de dormir poucas horas, ou acordar várias vezes, mas também se relaciona com a qualidade desse sono.

O sono para a Medicina Tradicional Chinesa depende do estado do Sangue e do Yin, especialmente do Coração e do Fígado, embora o Sangue e o Yin dos outros órgãos também influenciem no sono.

No Linghshu há o seguinte relato: “Quando acaba a energia Yang, hiperativa-se a energia Yin, dorme-se; e quando esgota-se a energia Yin ou hiperativa-se a energia Yang, desperta-se”. (CHONGHUO, 1993)

Segundo Botsaliso,  sono pertence ao Yin, quando se dorme pouco, significa que a regulação do Yin e do Yang no corpo não está sendo feita de acordo, e o Yang está excessivo. Em principio o rim é responsável por regular o Yin e o Yang do corpo. Diversos fatores etiológicos, como estresse e alimentação, podem enfraquecer o Yin do rim, levando ao predomínio relativo do Yang. O rim, segundo a Medicina Tradicional Chinesa, é responsável pela maior parte dos casos de insônia. Outras vezes a insônia vem de uma produção excessiva de Yang, o que tem relação com o fígado. Por fim, o sono é visto como uma expressão das necessidades do espírito. Quando o coração, órgão ligado ao espírito, fica mal nutrido, a insônia aparece.

Segundo Maciocia (1996), há um relacionamento entre o Corpo e a Mente, por um lado a deficiência do Sangue ou o fator patogênico como o Fogo, pode afetar a Mente; por outro lado o estresse emocional afetando a Mente pode causar desarmonia dos órgãos internos. De fato, qualquer desarmonia dos órgãos internos, seja proveniente de Deficiência ou Excesso, afeta o Sangue e a Essência. Uma vez que a Essência e o Qi são a raiz da Mente (“Os três Tesouros”), a Mente não terá residência, resultando em insônia. A Alma Etérea (Hun) também cumpre uma função importante na fisiologia e patologia do sono, a duração e a qualidade do sono, são relacionadas com seu estágio. Se for bem enraizada no Fígado, o sono é normal, profundo e sem muitos sonhos. Se o Yin ou o Sangue do Fígado for deficiente, a Alma Etérea é despojada de sua residência e vagueia a noite, causando sono inquieto, acompanhado de vários sonhos fatigantes. A Alma Etérea é afetada não apenas por uma Deficiência do Fígado, mas também por qualquer fator patogênico (como FOGO ou Vento), agitando o Fígado.

Já a insônia é causada pela incapacidade de adormecer com facilidade, acordar durante a noite, sono inquieto, acordar muito cedo e apresentar um sono perturbador pela presença de sonhos.

Uma das causas é o trabalho mental excessivo, trabalhar longas horas sem o adequado repouso, trabalhar sob condições de estresse intenso, combinados com alimentação irregular. (MACIOCIA, 1996)

Segundo as teorias da MTC, o Coração é o responsável, governante, da mente, sendo assim é o órgão mais envolvido nos casos de pacientes portadores de insônia e aquele que deve ser tratado direta ou indiretamente.

Além disto, pontos que estimulam a mente devem ser sempre considerados nesses pacientes. (FILHO; PRADO, 2007)

A quantidade e a qualidade do sono dependem do curso no estado da mente (shen). A mente é enraizada no Coração, especificamente no Sangue e no Yin do Coração. Se o Coração for saudável e o Sangue abundante, a Mente é devidamente enraizada e o sono será profundo. Se o Coração for deficiente ou agitado por fatores patogênicos como Fogo, a mente não é devidamente enraizada e o sono será afetado.

Autora do artigo: Profa. Larissa A. Bachir Polloni

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: