Close

Cuidados no Outono

                                                                                  DecoracaoOutono-622x412
Trecho retirado do livro Manual do Herói, Sonia Hirsch – Editora Correcotia

“Estamos vivendo uma era Metal. As telecomunicações, os transportes e a informática dependem completamente de Metal, mesmo no que é de plástico, derivado de petróleo. Fios de telefone, de luz, encanamentos, carrocerias de trens, carros e aviões, satélites, naves espaciais, combustíveis, circuitos integrados e a própria capacidade extraordinária de ordenação que a informática oferece: nosso cotidiano, no século vinte, mete a mão no tesouro de Metal. (Não admira que o ar esteja poluído e as pessoas tenham prisão de ventre.)

Diarreia (perda dos recursos) e prisão de ventre (retenção dos excessos) refletem desequilíbrio em Metal, assim como falta de vitalidade, indisposição generalizada, problemas de garganta e de estômago, certos tipos de paralisia, doenças debilitantes, fragilidade emocional, depressão, melancolia, discurso incoerente, eczema, asma, bronquite, gripe, coriza, nariz entupido, choro freqüente, membros ou costas doloridos. Dormir só de bruços mostra intestinos sempre sobrecarregados, o que predispõe a doenças.

O sabor ácido tonifica a energia dos pulmões, o sabor picante dispersa a energia dos pulmões, o sabor amargo harmoniza a energia dos pulmões. O pouco picante tonifica a forma dos pulmões, o muito picante e o amargo dispersam a forma.

É comum a gente abusar do sabor picante de Metal em forma de bebidas alcoólicas e temperos fortes, o que evidentemente vai se refletir no fígado e em todas as suas ressonâncias, tais como o humor, os músculos e as articulações, já que Metal corta Madeira. Certamente a natureza mais pesada de Metal faz procurar a leveza complementar; muitas pessoas bebem para estimular a expansividade e a imaginação (Madeira). Olhando em detalhe, esse excesso pode prejudicar gravemente os rins, que são nutridos por Metal, facilitando então a entrada de pensamentos obsessivos vindos de Terra em desequilíbrio (porque no corpo álcool é igual a açúcar), e afetar todo o sistema de Fogo, pela via perversa Metal-Fogo.

Já experimentou tomar rapé? Rapé é tabaco moído, excita o nariz e faz espirrar, dizem que proporcionando um grande bem-estar ao cheirador. Coisa muito picante, com poder de descongestionar. Deve dar um barato aéreo em quem se sente pesado demais.

Metal precisa de raízes como cenoura, nabo comprido, bardana, lótus, batata-baroa (também chamada de batata-salsa ou mandioquinha); dos sabores pungentes e picantes dos temperos e do alho, da cebola, do gengibre, do aipo (salsão); caldos temperados com misso para limpar os pulmões e beneficiar a flora intestinal; chá verde, chá de lótus, banchá para harmonizar o intestino. Seu cereal, o arroz. De preferência integral, porque tem fibras que ajudam a limpar os intestinos. Quase não gosta de açúcar, laticínios, pimentas e farinhas (em forma de macarrão, biscoitos, pães, bolos). Seu adoçante é o mel de abelhas, que é doce e picante, ajuda a fluidificar o muco das vias respiratórias e a descarregar os intestinos; pode ser usado com iogurte – ambos em pequena quantidade – em benefício de Metal, Terra e Madeira. E, por favor, lembre-se de beber água, sim? Metal é seco.

Fósforo, o mineral de Metal, está presente na maior parte dos alimentos ricos em cálcio e proteína. Participa de uma infinidade de processos bioquímicos e ajuda a formar ossos e dentes. Assim como o cálcio, depende de vitamina D para ser absorvido. Deficiência de fósforo produz fraqueza muscular e dores nos ossos. Fontes especialmente ricas são as sementes de abóbora e de gergelim, as nozes e castanhas e todas as leguminosas secas, leia-se feijões; entre os cereais, a aveia e a cevada; entre as carnes, as de pombo e de coelho.”

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: